Gengibre.........misto de sensações........eu recomendo...

Raiz forte, milenar, de inúmeras propriedades medicinais, de sabor e perfumes acentuados
Dá o seu toque especial em preparações gastronômicas, de difícil harmonização enológica , por suas características marcantes
Diversas culturas tem seu uso firmado, seja para males, seja para prevenção, seja para prazer de novas sensações dentro de uma cena
Que é meu caso
Um final de semana preparatório para uma pequena festa junina, bandeirinhas, doces típicos, pipoca, e comidinhas. Por minha conta ficariam as bebidas quentes e deliciosas dessa época do ano
O quentão e o vinho quente
O aroma a cor, e o aveludado na boca, amortecendo levemente as papilas, me fazem ter como uma das bebidas que adoro, fazer (pois sei que ficará bom..rs) e beber, em volta de amigos
A subzinha acompanha o Dono às compras, lembrando o que é necessário, não esquecendo nada

A cachaça, as especiarias, o açúcar, a laranja e o limão para aromatizar com suas cascas O gengibre
o Dono se aproxima de mim, olhando analiticamente para aquele monte de raízes e olhando para mim
Pretendia usar gengibre fresco, tirado na hora do pé, o sabor do quentão fica outro, assim como o aroma e a coloração da bebida, o sabor de cachaça some, dando lugar a um blend de sabores únicos
O maior, mais comprido e grosso, na minha inocência, teríamos mais participantes nesse festejo junino
A noite de sexta estava adentrando e o Dono tira o gengibre do saco, começa a descascar; que delicia o Dono ajudando a sub a preparar as bebidas (sou meio ciumenta na cozinha, gosto de levar as coisas prontas para Ele), mais como não tenho que querer nada, o gengibre na mão Dele
A sub solta uma: "Dono, a sub pode falar uma coisinha??, o Dono perde gengibre demais descascando assim, posso descascar para o Sr se desejar!!"

Escuto embalado num riso estridente que entrou por baixo, subiu pelas minhas pernas e me arrepiando a espinha
"Cadela , não estou descascando, estou esculpindo......entende??????"
Ai que minha linda ficha caiu, o que iria esquentar aquela noite, não seria o quentão, seria uma noite regada a sadismo, prazer e gengibre
Colocou a escultura no freezer
Minha mente e meu corpo pensativos, frio, calor, eu quente, la fora frio, frio na barriga, frio na espinha, gengibre quente, quentão, tava doidinha...rs......rs.....rs
A ordem era deitar em posição ginecológica, e usar o gengibre introduzi-lo, me preenchendo por inteiro
Mais antes Dele sentar para presenciar minhas reações, com uma faca começou a furá-lo, muitas e muitas vezes, aquele carnudo gengibre começava a exalar perfumes, e junto com ele, propriedades de ardor, e seu suco

Senti frio, que contraiu meu sexo, minhas pernas e bunda
Uma ponta que ficou da escultura, massageava meu períneo, a cada batida de perna e a cada contraída do meu corpo, me deixando mais extasiada
O frio, arrepio e queimado do gelo, dava lentamente me torturando, lugar a um calor, maior do que o que fez o gelo que envolvia o gengibre derreter
O rubor tomava conta de meu colo e face, alem do toda região pélvica
Os músculos vaginais se contraiam fazendo mexer mais o gengibre, que tocava cada vez mais meu períneo, roçando em vezes meu ânus, que por osmose, começava a ficar quente também
A cadelinha foi levada, puxada ate o ralo, para fazer xixi
As contrações fortes demais, agachei ao fundo do riso delicioso do Dono, e as vezes me atrevia a olhar o brilho do Seu olhar, que me excitava mais e mais
Que sensação humilhante mais gostosa, ali, no ralo, agachada, com uma tora de gengibre dentro do sexo, que pulsava e fazia o resto todo do meu corpo pulsar
Olhar para cima do lado de fora o Dono, se divertindo com a cena, não sabia se tirava, já que não queria, mais o Dono me levou para fazer xixi, era o que tentava fazer
Fui tirar de dentro, minhas pernas não mais me pertenciam, o músculo interno da minha coxa, me desobedecia, subindo contrações, calor, tesão, nervoso em desobedecer o Dono
Olhei para Ele, gesticulou um "não" com a cabeça, teria eu que me virar em acertar o ralo, fazer o xixi, e continuar com aquela raiz quente e ardidinha dentro de mim Me concentrei, finalmente consegui,era difícil, o clitóris já inchado, o corpo meio molinho
Consegui, dai tirei de dentro, veio escorregando de forma gostosa, encharcado, nem se se por ele mesmo ou por mim...rs....rs
O Dono avisou, que não tinha mandado eu tirar nada, iria ter mais gengibre no freezer, e quem sabe até sair com ele dentro de mim, normalmente na rua
Iria ser f.......
Para o quentão, já tinha raiz fresca tirada do pé, e a cada gole que tomava para me esquentar no frio na festa junina, era muito mais que esquentava
E ainda mais quando os olhares de Dono e sub se cruzavam em meio a amigos baunilhas
O Olhar Dele me possuía, e revivia aquele momento, do gengibre, dos risos, do meu nervoso, que o agradava muito
As vezes vinha e sussurrava algo no meu ouvido, me lembrando que tem mais gengibre esculpido , dentro de um freezer

E que a qualquer momento, novamente sentirei aquele misto louco de sensações................................................

M F D_[margoth]

2 comentários:

licia_Kl disse...

Rindo aqui
è moça bonita,por isso sempre falo,desde que conheci os efeitos do gengibre ,nunca mais um simples quentão foi igual rs
virei uma apaixonada por comida japonesa e todas aquelas lascas de gengibre que existem nela rs

afagos

{licia}_Kl

Sarinha disse...

Nossa Margoth... Linda, eu não conheço ainda esse negócio de sub ao gengibre rs, pra mim só na comida...
Mas achei interessante...
Beijinhos