Escola de Divinos

 
Reinauguração da Escola de Divinos
Fomos o Dono e eu, prestigiar e rever os amigos
Foi super.....como sempre, eu chovendo no molhado
O lugar é lindo, na Haddock Lobo, super organizado, bem decorado, e estiloso
Dei muita risada, revi meus amigos lindos; bebi, belisquei e conversei (eh trio bom demais...rs)
As roupas estão lindas
Pirei o cabeção em uma bota até a coxa

com salto em formato de bolas e uma superrrrrrr meia pata
Pena que ficou larga, quase pensei naquelas meias do Dono grossas e largas, mais acabei nem sugerindo, pois como a lei de Murph é fortíssima, na hora que eu estivesse calçando a bota para sair, Ele ia querer os meiões para usar
Dai ia falar o que? Então.....o meião, sabe essa bota linda, divina, maravilhosa, é um numero e meio maior que meu pé.....
Deixei para lá
Voltando, as peças estão lindas, vinil, couro, camisetas, ai nossa as camisetas, são lindasssssssss
Eu levei para o Dono, e para dar de presente também
A estampa é linda, e atrás vem estampado embaixo Escola de Divinos, com a coroa e tudo
E não é uma camiseta qualquer, é com estilo
Uma das do Dono, tem um carrapato estampado e onde Ele passa as pessoas esticam o pescoço pra ver
Um contraste (amo contrastes), da discrição do preto, com o branco, e de uma camiseta lisa, com estampas super diferentes como carrapto, caveirinhas, libélulas, escorpião (o Dono ama), mosca (emborrachada, então a blusa toda preta, só se percebe a estampa, pois a mosca é meio plastificada)
Muito legal, vale a pena conferir
Roupinhas para o Lux, sainhas, corsets, tops, vestidos, em um ambiente mega transado
Roupinhas para crianças, bebês, coisa mais fofinha
E várias matérias sairam a respeito, estadão, RG Vogue, blogs, sites.....e ai vai.........
E o bafão, eu conversando com a aimee do Sr Sorg, veio um fotógrafo, tirou umas fotos nossa, e perguntou o nome para anotar
Eu: "margoth"
Ele: "Margoth de que?"
Eu pensei: "Não faz pergunta dificil!!!, como ele não ia entender, margoth do Sr MFD"
Dai falei: "Desculpe, é apelido, super rindo para ele, descontraindo o ambiente, né?"
Dai dei meu nome, aimee também
Mais é tão natural para mim, que saí automático.rs
Foi hilário.........literalmente



Banheiro, cheio de recortes de revista de fofoca, tipo tititi...rs e ao lado o espaço Crossdress, para um pré Lux e encontros
Alison, esse desnaturado sumido, que nunca mais apareceu  nos Luxúrias, com sua meia pata vermelha, salto arranhaceu de alto
Luminoso da Loja
Chupei tanto pirulito, que saí diabética de lá, e cada um que pegava ia deixando ele mais pelado....rs
A camiseta que comentei, tem um lindo desenho atrás na lateral

Espaço Cross, muito colorido e mistura de elementos
Fotos RG Vogue, e outros sites, ah e minha tbm...rs


Estadão
por Dado Carvalho

A ESCOLA DE HEITOR WERNECK

A loja Escola de Divinos volta a abrir as portas depois de oito anos fora de atividade. Entre as peças criadas por Heitor Werneck – todas únicas -, muito couro, látex, vinil e uma cartela de cores com predomínio do preto. Em outras palavras, um retorno ao universo punk, clubber e fetichista que fez de Werneck um dos grandes nomes do underground paulista dos anos 90.

“Depois que foram feitas todas as camisetas, todas as calças, tudo, tudo, tudo, tudo, eu pego os retalhos que ficaram”, conta o estilista. “É a hora que eu mais gosto. O meu trabalho é juntar meia dúzia de retalhos e fazer o que ninguém mais tem coragem.”

Insight
Fazia, porém, algum tempo que ninguém juntava um retalho no outro. “Eu precisava descobrir o que me trouxe essa doença. E descobri”, lembra. Um câncer nos ossos tirou o estilista das atividades, em 2002. Na época, a Escola de Divinos era referência e seus 50 funcionários trabalhavam para que a cada duas semanas houvesse uma grande novidade no lugar. Todo mundo que era alguém na noite tinha algo da loja.

Até que, há não muito tempo, enquanto Werneck ainda se recuperava no hospital, duas pessoas o visitaram. Levavam dinheiro (e não era pouco), e deixaram muitas notas embaixo do travesseiro. Disseram: “Isso é pelas peças que você ainda vai criar.”

Naquela hora, Werneck, que não tinha intenção de voltar a costurar, percebeu: havia diversos órfãos de seu trabalho na cidade. E era hora de voltar ao trabalho.

Berço punk
Aos 15, Werneck já cuidava de uma marca, a Licantropia (’licantropia’ é o nome dado à existência dos lobisomens). “Na época, havia alguns brechós, mas eram poucos. A gente não tinha onde comprar roupa.” Isso, para um clubber que adorava se montar, era absolutamente inadmissível. A ideia da marca era justamente retalhar as coisas, misturar uma à outra. “Mas ainda não era eu”, lembra. Nascia a Escola de Divinos um pouco depois.

Não demorou até surgir um evento que impulsionaria toda a moda underground paulista: o Phytoervas Fashion. Este foi o embrião do que é hoje a São Paulo Fashion Week. Foi lá, em 1993 (época da Nation, que estava fechando) que Fause Haten e Alexandre Herchcovitch ficaram mais conhecidos. Heitor Werneck estava entre eles.

O motivo da entrada de Werneck: Vivienne Westwood. A estilista britânica estava de passagem pelo Brasil para participar de eventos da faculdade onde Werneck fazia moda. Gostou do que ele criava e ficaram próximos, criando algumas coisas juntos. “Ela desenhava para Sid Vicious, gente que eu admirava.”

Esta foi sua porta de entrada para a primeira semana de moda do País.

Caminhos
O início de Werneck não foi muito diferente do de Herchcovitch. Ambos desenhavam roupas para travestis. Na época, Herchcovitch fez parceria com Márcia Pantera e, Werneck, com Bebete Indrarte, do clube Madame Satã.

Uma diferença, porém, levou a carreira do estilista para outro rumo: nada do que ele cria tem par. Até hoje, todas as peças são exclusivas. E os preços não são altos (há peças entre R$ 60 e R$ 600). Werneck também não liga para a tendência. “Pouco me importa se o preto está na moda. Eu faço o que eu gosto. O que eu quero vestir.”

O estilista se inspira no mundo dos clubes noturnos de sua época. “Eu bebo na fonte do fetiche, do rock’n'roll.” Em uma época em que a regra era o máximo de ‘montação’, ele logo virou ícone. Mas como é a noite de hoje? “O ecstasy acabou com a noite. Ninguém mais se monta”, sentencia. A teoria faz sentido: a droga causa uma agitação tamanha, que é preciso vestir roupas confortáveis. “Depois que se popularizou, todo mundo só sai de calça jeans e camiseta.” Ainda assim ele tem esperanças para os clubbers e suas ‘montações’ – e o ponto de encontro será no cabaré que ele pretende abrir em breve.

O período ausente não o afastou da noite. Há quatro anos, ele cuida da festa Luxúria, com Dress Code fetichista obrigatório (diga-se: tudo o que você encontraria na Escola de Divinos: muito couro, vinil, plástico e roupas pretas. De outro jeito, não entra). O projeto completa quatro anos no dia 7, no clube Constantine. “Nessa festa, meu amigo, tem de prefeito a desembargador”, revela. “Todo mundo mascarado.” Se houver dúvida na hora de escolher a roupa, já sabe onde passar.

SERVIÇO
Escola de Divinos

R. Haddock Lobo, 893, Jd. Paulista, 2385-8864.

Agora um parênteses
Algumas pessoas falam que sou do tipo puxa saco, eu reafirmo que não preciso puxar saco de ninguém
Talvez puxaria se fosse uma ordem do Dono, mais como, com a graça do bom Deus o homem que me guia, é sensato, decente e ético, nunca me exporia a algo assim
Eu vejo tanta coisa, que me dá nojo
Tipo cara puxa saco, que empresta a escrava até para o outro comer, só para fazer uma mediazinha
Bem, opiniões pessoais à parte
Eu vou bater na mesma tecla novamente
Vou no Luxúria, sou bem tratada sempre........por todos
Tenho amizade com todos
E amizade é isso, é troca, é dar e é receber
E apoiar, é torcer junto e é compartilhar
E outra, admiro o cara que tem amizade comigo, e quando alguém vai falar mal de mim à Ele
Ele fala: " Vai tomar no....., conheço e sei que não é isso que você venenosa (o), está falando"
Seja o Presidente do Brasil (Que para o Heitor não seria muito difícil mandar tomar), ou qualquer outra merda, seja do meio BDSM ou fora dele
Isso para mim é amizade, comprar briga por mim, mostrar que quem é meu amigo, fica sempre, seja qual for a situação, junto de mim
Eu luto por meus amigos
Eu sou assim

MFD_[margoth]

3 comentários:

candonguinha disse...

Noooossa! Babando aqui com as fotos! Já sabia que tinha reaberto, mas não fazia idéia que estava tão linda! O passeio deve ter sido delicioso!

Sim, mentes criativas merecem apoio, sempre!

Bjos

MFD_[margoth] disse...

Está lindíssima a loja, quando vier vamos combinar de ir juntas,me dá um toque por orkut, ou msn
Bjosssssss

ACM disse...

Oi Margoth
Preciso muito entrar em contato contigo e com o MFD, a respeito da participação numa festa aqui no Rio do meu site Bound Brazil (Cordas e BDSM).
Queria muito que vocês estivessem no evento.
Aguardo contato: acm@boundbrazil.com
Obrigado
ACM