Kinbaku, em cena a arte milenar





Shibari é o ato, a ação de amarrar, com origem no Japão


Kinbaku é a arte de amarração Japonesa, que permanece conceitual até os dias de hoje


Diferenças do Shibari americano e do Kinbaku de origem Japonesa:

Estilo e tamanhos das cordas

O bongade ou shibari americano usa longos comprimentos de cordas grossas e o tipo de corda tem mudado ao longo dos anos: algodão foi utilizado desde o início e, em seguida, nylon se tornou popular na década de 80 e 90, seguido pelo polipropileno
O Kinbaku utiliza cordas de fibras naturais como Cânhamo, mais principalmente juta, e curtas com aproximadamente 7 metros , e mais finas com 6 mm
Tradicionalmente a arte dos samurais (Hojojutsu) não usava de muitos nós complexos, ao contrário da arte do Shibari/bondage americano, que enfatiza o uso dos nós
O Kinbaku é fortemente influenciado pelo período Sengoku do Japão.

O kinbaku no período Edo, se tornou uma prática com cunho sexual e Sadomasoquista
As vertentes americana e japonesa, ambas se baseiam na antiga arte do Japão
Com a diferença que a americana saiu um pouco do foco inicial do oriente
Com uso de cores, texturas e elementos visuais, mais nem tão usuais
O shibari americano, hoje se assemelha muito ao que chamamos de kinbaki-bi, visando apenas a estética corporal
Hoje, o kinbaku continua sendo levado a sério, pelos praticantes, que procuram se aprimorar cada dia mais, com leituras e as técnicas e rituais
Ao contrário do shibari americano, que não tem uma história, cada um faz da forma que deseja, que acha interessante

A Arte oriental do kinbaku é um legado e uma preciosidade, com complexidade, técnicas e e física
A sabedoria dessa arte, o conhecimento das lições e das amarrações, possibilita uma suspensão saudável e sem qualquer esforço da parte de quem suspende
E a segurança de quem é suspenso

O Kinbaku, voltado principalmente para suspensão é baseado no fundamento que nosso corpo e seus movimentos são simetricamente estruturados

E que nos adequamos as nossas reações simétricas, das partes do corpo, direita X esquerda

Tronco X membros, cima X baixo

O Kinbaku usa dessa vertente do nosso corpo, para criar uma nova circunstâncias

No caso com contexto de submissão, a total entrega, já que se sai do controle de nossos parâmetros simétricos

Manipulando nossa capacidade de manter o equilíbrio

É algo que passa a não ser mais nosso, nas mãos daquele que amarra

A pessoa se sente totalmente impotente, incapaz de se mover e incapaz de obter controle sobre o corpo.

Controle agora pertencente total e literalmente ao Dono

De forma sádica e prazerosa

Fisicamente e psicologicamente

Combinação de arte sensual, com um bem estar espiritual, mental e físico

Guiada por aquele que Domina, a lugares nunca antes visitados, um delicioso subspace, embriagante, explosão de prazer

Ali a obra de arte e o autor, total entrega, sadismo, erotismo, tortura prazerosa, gozo

Acho que até para o mais sadista, o prazer presente é o da forma que a entrega acontece, a vulnerabilidade de estar entre as cordas e voar

Vulnerabilidade que dá prazer, e proporciona prazer também

Eu suspensa, em contração pélvica, é bem isso que ocorre, minha região do períneo fica sensível, prestes a relaxar

A sensação do corpo levitando, salivação, todos os sentidos à flor da pele

Cada movimento se torna muito mais intenso, e o gozo mental é mágico

Como uma dose máxima de endorfina, aos poucos estabilizando depois de voltar ao chão


Uma leitura recomendada aos iniciantes de kinbaku é

Arisue Go’s Kinbaku

Mind and Tecniques 1

Traduzido do Japonês para o Inglês pela Kogure (shibarista, e modelo de kinbaku)

Leitura fundamental, depois disso, é muito treino mesmo!!!!!!!!!!!

A vinda da Kogure para o Brasil, foi maravilhosa

Até eu que não amarro, sou só amarrada, aprendi muitas coisas sobre o kinbaku, e suspensão

A harmonia a leveza e as regras e rituais fundamentais nessa prática, tão gostosa

Para quem não gosta de regras e de estudar, o kinbaku não é a melhor escolha

para esses o mais indicado é o bondage mesmo.......



MFD_[margoth]

4 comentários:

Eu disse...

Uauuuuuuu!!!!!!
Que aula!
Tem que vir de um Mestre como o Sr. MFD mesmo.
Ansiosa para ver a cena de vcs.
Muitos beijosssssssssss
Annye

Pamina disse...

Seu blog é uma delicia, margoth!

Anônimo disse...

Poodlezinha Toynhoinhoiiiiiiiii
Que espetáculo não é?????
As cordas de um modo ou de outro conquistam cada vez mais!
Parabéns ao Teu Senhor e a vc lininha!

R.Haustriel

MFD_[margoth] disse...

Meninas, obrigada pelo carinho.Sra Halustriel, é uma honra ter um comentário da Sra aqui no meu blog, tenho muito carinho e admiração por tudo que faz,ainda desejando aquela tão sonhada casinha de abelhas.........bjo de uma fã da Sua arte, e da Sua forma de ser.....